quinta-feira, 26 de junho de 2008

"Já perdoei erros..." não é de Chaplin!

"Já perdoei erros..." não é de Chaplin! Sep 17, '07 9:29 AM
for everyone

É um texto adulterado que originalmente se chama Curriculum Vitae e foi escrito por Juliana Spadotto (pseudônimo de Juliana A. da Silva, com registro na Biblioteca Nacional).

"Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar,
mas também decepcionei alguém.
Já abracei para proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos, amei e fui amado,
mas também fui rejeitado,
fui amado e não amei.
Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e quebrei a cara muitas vezes!
Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para ouvir a voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade,
tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)!
Mas vivi!Viva! Não passo pela vida...
você também não deveria passar!
Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida e viver com paixão,
perder com classe e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é muito para ser insignificante."


Há várias versões desse texto na internet. A mais completa e que parece que foi feita por uma única pessoa é a seguinte (Dica e observação feita pela Liz (Betty Vidigal), da comunidade "Afinal, quem é o autor?")

Entre parênteses e estão os versos presentes no texto atribuído a Chaplin para comparar.

JÁ...

Já fiz amigos eternos (fiz amigos eternos)
Já ri com vontade de chorar (já dei risada quando não podia)
Já me decepcionei com pessoas com quem nunca pensei me decepcionar (já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar)
Já me arrependi do que falei e do que deixei de falar
Já me decepcionei com amigas(os)
Já amei e fui amado (amei e fui amado)
Já fui amado e não amei (mas também fui rejeitado)
Já amei e não fui amado
Já tentei esquecer pessoas inesquecíveis (tentei (...) esquecer pessoas inesquecíveis)
Já planejei me nivelar a alguém e percebi que estava apenas permitindo que essa pessoa continuasse a me magoar
Já tentei substituir pessoas insubstituíveis (tentei substituir pessoas insubstituíveis)
Já me dediquei a amizades pensando serem verdadeiras
Já gritei e pulei de tanta felicidade (Já gritei e pulei de tanta felicidade)
Já chorei de ódio
Já chorei de alegria
Já vi o sol nascer na estrada com amigas(os) de verdade
Já tomei banho de cachoeira e de rio
Já vivi de amor (já vivi de amor)
Já tomei banho de chuva sozinho e acompanhado
Já tomei sorvete no frio e sopa no calor
Já disse Eu Te Amo verdadeiramente
Já me disseram Eu Te Amo verdadeiramente
Já me apaixonei (me apaixonei por um sorriso)
Já persisti num erro
Já aprendi com vários erros
Já perdoei erros quase imperdoáveis (Já perdoei erros quase imperdoáveis)
Já fiz coisas por impulso (Já fiz coisas por impulso)
Já abracei pra proteger (Já abracei para proteger)
Já beijei por beijar
Já decepcionei alguém (já me decepcionei com pessoas (...), mas também decepcionei alguém)
Já briguei por alguém
Já brigaram por mim
Já virei noites no telefone
Já chorei sentado no chão do banheiro
Já amanheci pensando em alguém
Já tomei porres de lembranças pensando em alguém
Já dei risada quando não podia (já dei risada quando não podia)
Já fiz juras eternas
Já chorei ouvindo música e vendo fotos (Já chorei ouvindo música e vendo fotos)
Já vivi momentos inesqueciveis
Já liguei só pra escutar uma voz (já liguei só para ouvir a voz)
Já me apaixonei por um sorriso e por uma voz (me apaixonei por um sorriso))
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade...... (já pensei que fosse morrer de tanta saudade)
No final ... tive medo de perder alguém especial e acabei perdendo!" (tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)!)
Mas... Vivi...! E estou Vivo...! (Mas vivi!Viva!)

(Autor Desconhecido), (Presente de Gi Manteli), 05/07/2006

"I have forgiven mistakes that were unforgivable,
I have tried to replace those who were unreplaceable
and tried to forget those who were unforgettable.
I have done things on impulse.
I have been let down by those whom I thought would never let me down
but I have also let others down.
I have laughed when It was almost impossible to laugh.
I have held someone to protect them.
I have made life long friends,
I’ve loved and been loved.
I have screamed and jumped for joy,
I have lived on love and made eternal promises of love.
I have fallen many times.
I have cried while listening to music
and also when looking at photos.
I have called someone just to hear their voice.
I have fallen in love with a smile.
I have also thought I was going to die from loosing someone special
and I did loose them! but I lived! And I still live!
I don’t allow life to pass me by and neither should you!
Live! What is really good is to fight with determination,
embrace life and live it with passion!
Loose your battles with class
and dare to win because the world belongs to those who dare and life,
Life is worth too much to be insignificant…"



CURRICULUM VITAE

"Eu já dei risada até a barriga doer,
já nadei até perder o fôlego,
já chorei até dormir
e acordei com o rosto desfigurado.

Já fiz cosquinha na minha irmã só prá ela parar de chorar,
já me queimei brincando com vela.
Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto,
já conversei com o espelho,
e até já brinquei de ser bruxa.

Já quis ser astronauta,
flautista, mágica, dançarina e trapezista.
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés prá fora´,
já passei trote por telefone,
já tomei banho de chuva,
E acabei me viciando.

Já roubei beijo,
Já fiz confissões antes de dormir
num quarto escuro prá melhor amiga.
Já confundi sentimentos,
Peguei atalho errado
e continuo andando pelo desconhecido.

Já raspei o fundo da panela de brigadeiro,
já me cortei depilando a perna,
já chorei ouvindo música no ônibus.
Já tentei esquecer algumas pessoas,
mas descobri que essas são as mais dificeis de se
esquecer.

Já subi escondida no telhado prá tentar pegar estrelas,
já subi em árvore prá roubar fruta,
já caí da escada de bunda.
Conheci a morte de perto,
e agora anseio por viver cada dia.

Já fiz juras eternas,
já escrevi no muro da escola,
já chorei sentada no chão do banheiro,
já fugi de casa prá sempre,
e voltei no outro instante.

Já saí prá caminhas sem rumo,
de bandana na cabeça, ouvindo estrelas.
Já corri prá não deixar alguém chorando,
já fiquei sozinha no meio de mil pessoas
sentindo falta de uma só.

Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e laranjado,
já me joguei na piscina sem vontade de voltar,
já bebi vinho até sentir dormente meus lábios,
já olhei a cidade de cima
e mesmo assim não encontrei meu lugar.

Já senti medo do escuro,
já vomitei de nervoso,
já quase morri de amor,
mas renasci novamente prá ver o sorriso de alguém
especial.

Já acordei no meio da noite
e fiquei com medo de levantar.
Já apostei corrida descalça na rua,
já gritei de felicidade,
já roubei rosas num enorme jardim.
Já me apaixonei e achei que era para sempre,
Mas sempre era um prá sempre pela metade.

Já deitei na grama de madrugada
e vi a Lua virar Sol,
já chorei por ver amigos partindo,
mas descobri que logo chegam novos,
e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.
Foram tantas coisas feitas,
momentos fotografados pelas lentes da emoção.
guardados num baú, chamado coração.

E agora um formulário me interroga,
me encosta na parede e grita:
"_Qual sua experiência?"
Essa pergunta ecoa no meu cérebro:
"_experiência...experiência..."
Será que ser "plantadora de sorrisos" é uma boa
experiência?
Não!!!
Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!"

(Juliana Russo Cobain, que é a mesma pessoa que JuliAna Spadotto)

2 comentários:

Juana Borges disse...

LINDO!

Alê Barros disse...

Oi!

Eu também achava que este texto era do Chaplin, mas na verdade é de um poeta chamado Augusto Branco. Basta olhar no Google ou no You Tube pra conferir. ;D

Beijinhos...